Shopper dos restaurantes: como a Frubana pretende chegar a esta condição

| |

Shopper dos restaurantes possui e-commerce que atua como um atacarejo virtual para estabelecimento; e já possui 45 mil restaurantes cadastrados e quer chegar a 300 mil em 2023

Ainda em fase de desenvolvimento para estabelecimentos de comida, a empresa Frubana pretende se tornar a shopper dos restaurantes. A companhia possui hoje um e-commerce de produtos justamente para esses estabelecimentos. Ela atende hoje em torno de 45 mil restaurantes (eram 3 mil em 2021), número que deve crescer para 400 mil já no próximo ano.

Shopper dos restaurantes

A shopper dos restaurantes, ainda no ano passado, passou por uma rodada de captação nos negócios que teve a participação de fundos como Softbank e Tiger Global, na qual levantou US$ 65 milhões. Além disso, a maior parte do dinheiro foi utilizada para investir em pessoas e na ampliação da empresa no país.

Fundação

A Frubana foi fundada em 2018, e está presente no México e Colômbia. No Brasil, as operações começaram em 2020. Um diferencial da empresa é sobre o prazo que oferece, assim como o preço: de 15% a 20% menor do que o dos supermercados tradicionais.

Tal eficiência, diz a emprea, é conquistada por comprar direto da fonte. E isso tanto no caso da indústria quanto do hortifruti, além de eliminar intermediários de venda no meio do processo.

Estoque próprio

Por outro lado, é preciso deixar claro que a Fubrana não atua como um marketplace de produtos. Porém, mantém estoque próprio para garantir a vazão dos produtos. E para administrar a ruptura, a companhia atua com um algoritmo de previsão de demanda. Atualmente, menos de 1% do que é comprado deixa de ser vendido.

De acordo com Breno Lopes, country manager da Frubana Brasil:

“Uma das coisas que com o tempo vai avançando é a previsão de demanda. Não é nada fácil garantir que vai receber os 800 SKUs que tem em São Paulo e que vai receber no padrão e no horário, existe uma parte super importante de desenvolver fornecedor e que com o tempo vai melhorando.”

Logística 100% dentro de casa

Já em relação à demanda e prazo de entrega, o algoritmo também determina rotas para as entregas dos pedidos de modo oritmizado.

Apesar da frota não ser própria, a companhia opera com transportadoras parceiras e possui até mesmo um aplicativo para o motorista independente conseguir realizar entregas. Hoje, 96% do que é vendido é entregue dentro do horário. Além disso, o valor pago pelo frete é baixo, em torno de cinco reais.

Faturamento da shopper dos restaurantes

A Fubrana não abre dados de faturamento. Porém, o modelo de negócio é razoavelmente simples. Neste caso: compra dos distribuidores, aplica a margem e forma o preço final.

Todavia, a única variação aberta é de que a receita cresceu 20 vezes do último ano para cá, ao ponto de estar perto dos 20 maiores atacados do país em receita anual. O tíquete médio é de US$ 400.

Benefício para os restaurantes e fornecedores

Para os restaurantes é interessante pela comodidade e, para os fornecedores, Antonio Capezzuto, diretor de expansão da Frubana Brasil, explica que a exposição de marca a restaurantes pequenos e médios também se torna atrativa.

“O custo de aquisição para os fornecedores é muito mais baixo do que colocar uma força de vendas local.”

Três regiões de atendimento da shopper dos restaurantes

Atualmente, a companhia atende três regiões de São Paulo: zona oeste, ABC e Guarulhos.

Fora da capital paulista, Campinas, Belo Horizonte e Curitiba também já possuem atuação da companhia. Entretanto, como os produtos são muito perecíveis, há a dependência de estoques próximos às regiões de entrega. Ao contrário dos galpões tradicionais de e-commerce, os deles têm mais docas e portões para ajustar a vazão.

Por fim, os executivos afirmam, em relação à abertura de lojas físicas, que testes já foram feitos com pequenos estabelecimentos. Mas, que “não é um movimento prioritário” para a empresa, que seguirá investindo no modelo digital.

*Foto: Reprodução

Anterior

Inflação alta: ex-diretor de Política Monetária do BC diz que persistirá por anos